sexta-feira, 16 de abril de 2010

Zilda Arns Neumann


"Como os pássaros, que cuidam de seus filhos ao fazer um ninho no alto das árvores e nas montanhas, longe dos predadores, das ameaças e dos perigos e mais perto de Deus, devemos cuidar de nossos filhos como um bem sagrado, promover o respeito a seus direitos e protegê-los".

Parágrafo final da última palestra da Dra. Zilda Arns Neumann

Haiti, 2010.


Zilda Arns uma mulher guerreira que padeceu fazendo o que mais desejava: a solidariedade. Foi a 13ª filha, dentre 16 filhos, do casal brasileiro de origem alemã, Gabriel Arns e Helene Steiner. Nasceu no dia 25 de agosto de 1934, em Forquilhinha, no interior de Santa Catarina.

Em 1959, casou-se com Aloísio Bruno Neumann (1931-1978), com quem teve seis filhos: Marcelo (falecido três dias após o parto), Rubens, Nelson, Heloísa, Rogério e Sílvia (que faleceu em 2003 num acidente automobilístico). Zilda Arns era avó de dez netos.

Formada em medicina pela UFPR , aprofundou-se em saúde pública, pediatria e sanitarismo, visando a salvar crianças pobres da mortalidade infantil, da desnutrição e da violência em seu contexto familiar e comunitário. Especializou-se em diversas áreas que mais tarde foi fundamental para sua prática humanitária. Atuou como médica pediatra do Hospital de Crianças César Pernetta, em Curitiba. Em 1980, foi convidada pelo Governo do Estado do Paraná a coordenar a campanha de vacinação Sabin, para combater a primeira epidemia de poliomielite, que começou em União da Vitória, criando um método próprio, depois adotado pelo Ministério da Saúde. No mesmo ano, foi também convidada para dirigir o Departamento Materno-Infantil da Secretaria da Saúde do mesmo Estado, quando então institui com extraordinário sucesso a campanha estadual de aleitamento materno.

A pedido da CNBB, em 1983, foi uma dos fundadores da Pastoral da Criança que após vinte e cinco anos de existência assistiu por volta de 1.816.261 crianças menores de seis anos e 1.407.743 de famílias pobres em 4.060 municípios brasileiros. Neste período, mais de 261 962 voluntários levaram solidariedade e conhecimento sobre saúde, nutrição, educação e cidadania para as comunidades mais pobres, criando condições para que elas se tornem protagonistas de sua própria transformação social.

Quanto a Pastoral da Pessoa Idosa, em 2004, Zilda Arns também foi protagonista da fundação dessa pastoral que, hoje, mais de cem mil idosos são acompanhados mensalmente por doze mil voluntários de 579 municípios de 141 dioceses de 25 estados brasileiros.

Zilda Arns dividia seu tempo entre os compromissos como coordenadora nacional da Pastoral da Pessoa Idosa e coordenadora internacional da Pastoral da Criança e a participação como representante titular da CNBB no Conselho Nacional de Saúde, e como membro do Conselho Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (CDES).

Zilda Arns faleceu no dia 12 de janeiro de 2010, vítima de uma catástrofe natural em Porto Príncipe onde encontrava-se em missão humanitária, para introduzir a Pastoral da Criança no país.


0 comentários:

Postar um comentário